The Ward (John Carpenter, 2011)


Antes de tudo é preciso evitar que o entusiasmo de assistir a um filme de John Carpenter dez anos depois do seu trabalho anterior para o cinema provoque um deslumbramento que não parta do filme em si, mas pela simples assinatura do mestre no credito de direção. Vendo The Ward em algum momento lembrei de Arrasta-me Para o Inferno, ambos parecem versões esticadas de um episódio de série de horror de TV, mas o de Carpenter é superior e mais bem pensado que o de Raimi, que naquele dilui todo um gênero para um público de shopping center que dificilmente perderia seu tempo assistindo a um autêntico filme B (como The Ward). É certamente um filme menor de Carpenter (e talvez alguns o proclamem como um típico “filme de fim de carreira”), mas que no seu passeio ao horror de um hospital psiquiátrico esculpe (algumas) visões do inferno e prossegue lidando muito bem com espaços claustrofóbicos típicos de algumas de suas melhores obras (O Enigma de Outro Mundo, O Principe das Sombas, Fantasmas de Marte, entre outros). E muitos possivelmente se surpreenderão com a quantidade de personagens femininas no centro do filme, mas é preciso dizer que a presença de mulheres fortes sempre foi recorrente na filmografia do diretor, só que nunca tão concentrada quanto aqui. Belo filme em toda a sua frontalidade direta e na clareza com que conduz tudo.

Anúncios

Uma resposta para “The Ward (John Carpenter, 2011)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s